quarta-feira, 22 de novembro de 2017

domingo, 19 de novembro de 2017

20 de novembro – Dia Universal dos Direitos da Criança


image
Direitos da criança
direitos das crianças-2

No dia 20 de novembro de 1959, as Nações Unidas aprovaram um documento que estabeleceu os direitos das crianças de todo o mundo.
Na Declaração dos Direitos das Crianças ficaram estabelecidos os dez princípios reconhecidos a todas as crianças, sem discriminação alguma.
Em 1989, este documento alargou-se e os deveres ali consagrados para com as crianças passaram a ser obrigações, por lei, na Convenção sobre os Direitos das Crianças!
É tarefa dos adultos e dos governantes proteger as crianças e fazer com que os seus direitos sejam respeitados. Cada criança é um cidadão e tem os mesmos direitos que as outras pessoas, sejam adultos ou crianças!
A participação das crianças nas escolhas da família, nas decisões da escola e nos assuntos da sociedade é muito importante! Quanto mais as crianças disserem o que acham, pensam e sentem, mais facilmente os adultos percebem o que é bom para cada criança.
Com a sua participação, as crianças ajudam a melhorar as decisões sobre coisas que as afetam. Quando participam, aprendem a comunicar, a negociar, a tomar decisões e a conseguir o que querem.
in Visão Júnior, [17/11/17], (adaptado)


Direitos e Deveres da Criança

sábado, 18 de novembro de 2017

--- Ateliê de Literacia Matemática ---

alea-competição1

… PARTICIPA …

Biologia - Sistemas reprodutores masculino e feminino/ regulação hormonal

No âmbito da disciplina de Biologia, os alunos do 12ºA sob a orientação da professora Isabel Marques, desenvolveram trabalhos que se encontram expostos no pavilhão B, da Escola Secundária Gaia Nascente. Estes trabalhos permitiram a estes alunos relacionar as temáticas abordadas em sala de aula bem como com os conteúdos curriculares da disciplina. Em grupo, foram elaborados cartazes sobre os conceitos e mecanismos associados ao funcionamento dos sistemas reprodutores masculino e feminino, bem como à regulação hormonal dos mesmos, evidenciando estes trabalhos uma perspetiva puramente biológica do conceito do Homem. Estes cartazes podem contribuir para sensibilizar os alunos do 3º ciclo para algumas das temáticas lecionadas no Curso de Ciências e Tecnologias, promovendo ainda o sucesso educativo bem como a cultura dos alunos. No decorrer do seu trabalho, os alunos integraram e valorizaram a Biblioteca escolar.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Mês Internacional da Biblioteca Escolar 2017 – comemoração

                                          Apresentação1_uv

                                             cartaz comemorativo, pela profª Andrelina Silva

Na biblioteca escolar, os seus utilizadores têm acesso a recursos variados e a atividades/ projetos que contribuem para a sua formação integral, promovendo a aceitação da diferença.

                 image

Nesse sentido, a BE-ESGN celebra esta efeméride com um conjunto de atividades:

» Exposição de marcadores elaborados pelos alunos dos 7º, 8º e 9º anos, em EV, com sugestões de títulos de livros indicados pelos alunos do 7º ano, na receção aos alunos, a 13/set

IMG_1907 - Cópia

9ºI – orientação da profª Andrelina Silva


» Visitas guiadas/ formação do utilizador, outubro/novembro, 7º, CEF, 10º anos – trabalho escolar

» “Maletas da Leitura” para o 3º ciclo, acompanhadas de Ficha de Leitura

»»»«««

«   Proposta de atividade   »

Lê os textos abaixo divulgados, provenientes de diferentes culturas e, num breve comentário, salienta o contributo das Bibliotecas Escolares – a leitur@, os livros, a pesquis@ – para o teu posicionamento face a outras realidades do mundo que te  rodeia

Malala_menina afegã

recolha de textos/imagens pela profª Palmira Pereira

image

Deixa o teu comentário neste blogue



quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Outubro - mês da Internet Segura

IMG_1846


breve formação às turmas do 7º ano, via quizizz

internet segura

sábado, 14 de outubro de 2017

Dia Mundial da Alimentação – 16 de outubro

                                    Duas sugestões de alimentação

                                   image

Vegetarianismo

Ser vegetariano não tem uma só definição já que existem diferentes tipos de vegetarianismo, uns mais rigorosos e outros mais permissivos.

Seja por razões económicas, religiosas, de sustentabilidade, preocupação com os animais ou por questões de saúde, o ponto comum a todos os tipos de vegetarianismo é a maior ingestão de produtos de origem vegetal (frutas, legumes, oleaginosas, sementes, cereais). A diferença está no tipo e quantidade de produtos de origem animal ingeridos.

Vegan – só comem alimentos de origem vegetal. Alguns recusam até o mel e a gelatina que seja de colagénio de porco.

Frutívoros - alimentam-se de fruta fresca, oleaginosas e sementes, mel e azeite. Recusam-se a comer alimentos em que se "mata a planta” – por exemplo cenoura, batata, cebola.

Lacto-vegetarianos - comem todos os alimentos de origem vegetal (frutas, legumes, cereais, oleaginosas e sementes, leguminosas), leite e derivados.

Ovo-vegetarianos - comem todos os alimentos de origem vegetal e ovos.
Ovo-lacto-vegetarianos - comem todos os alimentos de origem vegetal, leite e derivados e ovos.

Semi vegetarianos - comem todos os alimentos de origem vegetal e alguns alimentos animais mas não todos. Podem excluir só as carnes vermelhas, ou todas as carnes e consumirem só peixe e marisco.

Beneficio para a saúde

Muitos são os estudos que mostram em populações específicas que a dieta vegetariana protege contra diversas doenças como diabetes, doenças cardiovasculares, pode ajudar a combater a obesidade e até aumentar a longevidade.  
Mas muitas são também as investigações que referem que dietas vegetarianas muito restritivas podem ser prejudiciais pela falta de
certos nutrientes.

Quais as principais preocupações nutricionais?

A American Dietetic Association diz que a alimentação vegetariana pode ser adequada para todas as fases da vida, desde que corretamente planeada.
E aí é que está a questão. Se decidir ser vegetariano tem de estar muito atento a alguns nutrientes que podem faltar a longo prazo na sua alimentação.
Se pensa que ser vegetariano consiste apenas em comer muitos legumes, cereais e frutas – provavelmente está com alguma deficiência nutricional.
Na prática clínica encontramos com muita frequência pessoas com alimentação vegetariana há muitos anos e com défice de proteínas,
ferro e também com homocisteína elevada, o que pode ser consequência de falta de vitamina B12, B6 e ácido fólico. A falta de zinco também por ser uma problemática.

Se é ovo lacto vegetariano ou só não come carne provavelmente a sua vitamina B12 e proteínas estão bem.

Se é vegetariano a 100%:

- Tenha o cuidado de combinar leguminosas com cereais de forma a obter proteínas de elevado valor biológico, se for do seu agrado consuma soja e saiba que nas sementes de cânhamo também consegue algum valor proteico interessante.

- Experimente algas como a
Spirulina.

- Ao consumir leguminosas (feijão, favas, ervilhas, lentilhas) e outros alimentos com ferro beba um sumo de fruta natural de laranja ou kiwi para otimizar a absorção do ferro.

- Varie o mais que puder em termos de frutas, legumes, leguminosas, oleaginosas e sementes e não baseie a sua alimentação só em cereais. Lembre-se todos os dias de hortaliças e sementes.

Em todos os casos – faça análises com regularidade para assegurar que tudo está bem. Seja vegetariano se assim o deseja, desde que planeie bem a sua alimentação. Se for necessário recorra a suplementação, ou faça algumas refeições por semana com carnes/peixes/ovos se assim o entender.

http://www.esmeraldazul.com/pt/blog/ser-vegetariano-sim-ou-nao/, [adaptado] [3/10/2017]

                                 image

A alimentação mediterrânica - não apoia grandes quantidades de carne/peixe/ovos e até incentiva refeições vegetarianas algumas vezes por semana


                                      image

                                                          Nova roda dos alimentos

   [Fonte: Instituto do Consumidor, Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto; 2005]

I - Cereais e derivados e tubérculos:

Exemplos de alimentos: arroz, massas, pão, bolachas, aveia, cereais matinais, farinhas de cereais, batata, batata-doce, inhame, mandioca, milho, trigo, centeio, cuscuz…

II – Hortícolas

Exemplos de alimentos: abóbora, agrião, alface, acelga, aipo, alho francês, beringela, beterraba, brócolos, cebola, cenoura, chuchu, curgete, couve, couve-lombarda, couve-flor, couve-de-bruxelas, espargo, espinafre, feijão-verde, grelos, nabo, nabiça, pepino, pimento, rabanete, repolho, rúcula, tomate…

III – Frutas

Exemplos de alimentos: abacaxi, ananás, alperce, ameixa, amora, anona, banana, cereja, clementina, dióspiro, figo, framboesa, goiaba, groselha, kiwi, laranja, limão, lima, maçã, manga, melancia, melão, meloa, mirtilo, maracujá, morango, nectarina, nêspera, papaia, pera, pêssego, romã, tangerina, toranja, uva…

IV – Lacticínios

Exemplos de alimentos: leite, iogurte líquido, iogurte sólido, queijo fresco, queijo curado, requeijão, bebidas de soja enriquecidas com cálcio (“leite de soja”), iogurte de soja enriquecido com cálcio…

V – Carnes, pescado e ovos

Exemplos de alimentos: carne vermelha (de vaca, porco, carneiro), carne branca (frango, peru e coelho), peixes, ovos…

VI – Leguminosas

Exemplos de alimentos: ervilhas, favas, feijão branco, feijão preto, feijão manteiga, feijão encarnado, feijão-frade, grão-de-bico, lentilhas, soja…

VII – Gorduras e óleos

Exemplos de alimentos: azeite, outros óleos vegetais (amendoim, soja, girassol, milho, palma), margarinas, cremes vegetais para barrar, manteiga, banha, natas…

Red heart

“SABER COMER É SABER VIVER”Rainbow“ COMA BEM PELA SUA SAÚDE”

[recolha de textos/ imagens pela profª Adelina Alves]